Zoila Medina, Médica Ginecologista e Conselheira Fiscal da AMCR*

Em um mundo marcado por avanços significativos na área da saúde, a AIDS ainda persiste como um desafio global no século XXI. Atualmente, a doença continua a ser uma preocupação de saúde global, apesar dos notáveis avanços em prevenção, tratamento e na redução da mortalidade associada à infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

O dia 1º de dezembro é marcado por ser o Dia Mundial de Combate à AIDS e nesta data é crucial refletir sobre a trajetória do vírus HIV e reconhecer as conquistas alcançadas, bem como os desafios que persistem.

É importante sempre ressaltar que a transmissão predominante ocorre principalmente por vias sexuais, destacando a importância do uso de preservativos em todas as formas de relações íntimas. Mas além dessa forma, práticas como o compartilhamento de agulhas e o uso de drogas injetáveis permanecem como um dos fatores de risco, destacando a necessidade contínua de programas de redução de danos e conscientização.

A transmissão vertical, na qual uma mãe infectada pode transmitir o vírus durante a gravidez, parto ou amamentação, também representa outro desafio, enfatizando a importância da vigilância pré-natal precoce, idealmente a partir do desejo gestacional.

Instrumentos e produtos contaminados, assim como procedimentos médicos ou de beleza não esterilizados, também fontes potenciais de infecção, ressaltando a importância da implementação de práticas rigorosas de higiene em diversos contextos.

Apesar da raridade das transmissões sanguíneas devido aos avanços nos testes rotineiros, o acesso universal aos serviços de saúde, prevenção e diagnóstico precoce permanecem desafios prementes. A conscientização da população sobre a importância do diagnóstico precoce e do tratamento efetivo é fundamental para enfrentar a estigmatização associada à doença.

Zoila Medina, médica ginecologista pelo Centro de Referência em Saúde da Mulher, Hospital Pérola Byington e Especialista em Reprodução Humana pela FEBRASGO, pós-graduada no Instituto de Ensino e Pesquisa em Medicina Reprodutiva de São Paulo. Ela também é conselheira fiscal da AMCR (Associação Mulher, Ciência e Reprodução Humana no Brasil)*

No mais, as empresas também precisam refletir sobre a necessidade de compartilhar informações sobre o tema. A DKT South America, empresa líder em planejamento familiar e detentora das marcas Prudence, Sutra, Andalan e AMIU, atua como exemplo nesse quesito, afinal, um dos seus pilares conhecidos mundialmente, é de promover a conscientização sobre os cuidados e prevenção para o HIV/AIDS.

Inclusive, fazem ações durante todo o ano que beneficiam a causa e que ajudam organizações sem fins lucrativos que também abraçam o tema. Contudo, próximo da data, abrem doações, fornecem insumos e materiais para impulsionar testes gratuitos de ISTs e muito mais.

Com o auxílio das corporações, população, terceiro setor e saúde pública, é possível realizar trocas de conhecimentos e passar para frente informações sobre o HIV e a AIDS, além de fornecer informações sobre os avanços médicos que estão acontecendo ao redor do mundo.

O progresso no diagnóstico precoce e no tratamento efetivo tem sido notável, mas a jornada rumo ao controle efetivo da AIDS está longe de ser concluída. O acesso universal aos serviços de saúde, a promoção da prevenção e a detecção precoce continuam a ser metas cruciais para alcançar um mundo com uma presença menos ativa da doença. Neste Dia Mundial de Combate à AIDS, é fundamental unirmos esforços para superar os desafios remanescentes e garantir um futuro mais saudável para todos.