Quadro é a principal causa de internação de crianças durante os meses mais frios

No outono, casos de infecções respiratórias aumentam e acometem, principalmente, crianças menores de dois anos. Os vírus que causam a bronquiolite circulam no Hemisfério Sul até o início do inverno. Além de serem períodos de climas mais frios, as pessoas tendem a ficar em ambientes fechados, com pouca circulação de ar, favorecendo a transmissão desses vírus de contato.

A bronquiolite é uma das principais causas de internações em crianças e se caracteriza por uma infecção nos bronquíolos, estruturas que transportam oxigênio para o interior dos alvéolos pulmonares.

De acordo com o Dr. André Ricardo Araújo da Silva, infectologista do Grupo Prontobaby, por ser uma doença que atinge, principalmente, as vias aéreas inferiores, provoca uma inflamação nesta região.

“A criança pode ter uma respiração acelerada; som característico no peito, como um chiado de gato; febre baixa e tosse. O chiado, quando acompanhado de dificuldade para respirar, é um indicativo para a internação, pois pode causar falta de oxigênio nos pulmões e insuficiência respiratória”, pontua o especialista.

A doença pode ser causada por diferentes vírus, inclusive o da influenza. No entanto, o sincicial respiratório (VSR) é responsável por 75% das bronquiolites e 40% das pneumonias em crianças pequenas.

As mães devem se atentar à saúde dos pequenos, evitar aglomerações, estimular a amamentação, higienizar as mãos com frequência e não leva-los à creche se tiverem com sintomas respiratórios. “Essas são medidas que ajudam, mas não evitam totalmente o problema”, comenta o infectologista.

Apesar de ser uma doença, os sintomas devem ser tratados dentro de casa, na maioria das vezes. Pais só devem procurar um hospital quando a criança começar a ficar muito desconfortável.

“Leve-a a um pronto-atendimento se ela ficar roxa na hora de respirar, com o ossinho do pescoço indo para dentro e para fora; quando há alternância do sensório, ou seja, quando ela está alerta e do nada começa a ficar sonolenta ou irritada; ou até mesmo não consegue ingerir líquidos”, comenta o especialista.

Este ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro da primeira vacina que previne o VSR e a bronquiolite em bebês. A vacina deve ser aplicada em dose única, em grávidas, durante o segundo ou terceiro trimestre de gestação.