A Dra. Esthela Oliveira, especialista nesta abordagem mais complementar da saúde, dá dicas de novos hábitos para incluir no dia a dia e turbinar a saúde do corpo e da mente

No dia 23 de janeiro, Dia Mundial da Medicina Integrativa, prática médica que pensa na saúde de forma mais complementar, focada na prevenção de doenças e na promoção do equilíbrio entre saúde do corpo e da mente, especialistas nessa abordagem alertam para a importância de começar um novo ano colocando a saúde em primeiro lugar.

Essa época do ano é vista como uma oportunidade para colocar os planos em prática, testar coisas novas e cumprir as promessas pendentes da virada anterior. Uma das metas mais comuns é cuidar mais de si por inteiro, tanto da saúde física, quanto da mental. Afinal, se antes da pandemia, o ritmo frenético em que a levávamos a vida já era razão para o burnout e as crises de ansiedade, hoje, na era pós-covid, a necessidade de buscar alternativas para estar em equilíbrio tornou-se ainda maior.

De acordo com a nutróloga, Dra. Esthela Oliveira, a medicina integrativa é um método guiado pelo conceito “mente sã, corpo são” e tem um papel importante na prevenção de doenças, pois foca nas raízes de um problema e não apenas nos sintomas físicos, ou irregularidades em exames diagnósticos. Apesar da sua complexidade, muitas de suas estratégias para auxiliar um paciente a alcançar o verdadeiro bem-estar e autocuidado são simples e podem ser incluídas na rotina.

“Não basta apenas comer bem, fazer um exercício ou outro, dormir oito horas de sono, é preciso investir em bem-estar emocional, um momento no seu dia que será dedicado a você”, ressalta a Dra. Esthela Oliveira. E para ajudar a começar 2023 com o pé direito na saúde, a Dra. sugere algumas práticas simples da medicina integrada, para começar a aderir logo no começo deste ano. Confira:

  • A primeira delas é uma alimentação saudável, com menos agentes inflamatórios como o leite, glúten e açucares. O que não significa que você deve abrir mão de tudo que gosta de comer, mas que passará ter prazer em comer de forma mais equilibrada e não restritiva;
  • Em seguida, lembre-se que movimento é vida. Uma rotina de exercícios pode promover a produção de neurotransmissores que trazem a sensação de bem-estar. Portanto, busque atividades físicas que te estimulem a gostar de se exercitar todos os dias;
  • Exercite corpo e mente ao mesmo tempo com práticas que estimulam a respiração controlada, como a meditação, a yoga, acupuntura e até o pilates. O conjunto delas pode promover a liberação de substâncias no corpo que trarão alívio do estresse e ansiedade;
  • Outro pilar de importante relevância, é o acompanhamento médico periódico. Não espere estar mal para se consultar com um médico, ao menor sinal de anormalidade procure ajuda. Mantenha seus check-ups em dia para prevenir doenças e realizar os tratamentos clínicos necessários em tempo.
  • E por fim, mas não menos importante, aprenda a exercitar o sentimento da gratidão. Uma mudança de perspectiva pode ser tudo que você precisa para encontrar equilíbrio.

Sobre Esthela Oliveira

draesthelaoliveia l @sideclinic

Médica do esporte (RQE 76855), membro titular da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte e médica do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein. É pós-graduada em nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Pós-graduada em Medicina Integrativa pelo Instituto de ensino e pesquisa Albert Einstein. Em 2019 realizou o curso de Mind Body Medicine na Universidade de Harvard.

Fundadora da Side Clinic, espaço que busca trazer uma visão mais ampla no cuidado com os pacientes, acompanhando-os em todas as etapas da vida e em todas as suas esferas: físico, emocional e mental, por meio da associação de técnicas integrativas, como ferramenta para complementar a medicina tradicional.