Especialista da SBPC/ML ressalta a importância dos exames laboratoriais convencionais na interrupção da disseminação da doença, bem como na garantia de um tratamento eficaz.

O próximo dia 24 é marcado pelo Dia Mundial da Tuberculose, data que reforça a conscientização da população sobre a importância do diagnóstico precoce e tratamento da doença. Apesar de antiga, a tuberculose persiste como um grave problema de saúde pública. Segundo o Ministério da Saúde, globalmente, a doença afeta cerca de 10 milhões de pessoas por ano. No Brasil, são registrados aproximadamente 70 mil novos casos a cada ano, com cerca de 4,5 mil mortes; uma média de 14 mortes por dia.

A tuberculose é uma infecção bacteriana causada pela Mycobacterium tuberculosis, conhecida como bacilo de Koch. Os sintomas variam, incluindo tosse persistente, febre, suores noturnos, perda de peso e fadiga. O diagnóstico pode ser feito por exames laboratoriais, como a baciloscopia do escarro, e complementado por raios-x de tórax. De acordo com André Doi, médico patologista clínico e diretor científico da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML), a tuberculose é transmitida por aerossóis respiratórios, como tosse, fala ou espirro de pessoas com a doença ativa e não tratada.

– A transmissão é significativa, uma pessoa com tuberculose pulmonar ativa e sem tratamento pode infectar de 10 a 15 pessoas em sua comunidade. Portanto, é crucial o diagnóstico precoce para interromper a disseminação e garantir um tratamento eficaz. Os exames laboratoriais convencionais desempenham um papel fundamental nesse processo, permitindo a detecção precisa da doença e a determinação da sensibilidade do patógeno aos antibióticos -, explicou o especialista da SBPC/ML.

Os tratamentos típicos geralmente incluem uma mistura de antibióticos administrada ao longo de vários meses. Segundo André Doi, seguir rigorosamente o tratamento é determinante para prevenir complicações e diminuir a chance de resistência aos medicamentos. “É crucial ressaltar que o tratamento não só ajuda o paciente individualmente, mas também tem um impacto relevante na saúde pública, diminuindo a propagação da doença e evitando novos casos”, detalhou o especialista, acrescentando que para que o tratamento tenha bom resultado, o diagnóstico precisa acontecer o mais cedo possível.

Campanha 2024: Sim! Nós podemos acabar com a TB!

O tema da campanha do Dia Mundial da Tuberculose deste ano, “Sim! Nós podemos acabar com a TB!”, traduz uma mensagem de esperança na reversão da tendência da epidemia da doença por meio de aumento de investimentos, maior liderança e adoção mais ágil das novas recomendações da Organização Panamericana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Um dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável é a eliminação da tuberculose até 2030. A tuberculose é uma das 30 doenças transmissíveis abordadas na Iniciativa OPAS para a Eliminação de Doenças nas Américas.