Apesar de algumas semelhanças complicarem o diagnóstico de TDAH e Superdotação existem algumas diferenças importantes que precisam ser observadas, ressalta o Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH é uma condição que afeta a capacidade de concentração e controle de impulsos, ela tem sido cada vez mais diagnosticada atualmente, o que a fez ser alvo de diversos estudos voltados a analisar melhor o seu desenvolvimento, efeitos e relação com outras condições, como a superdotação.

É isso que o novo estudo “Comparação entre Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAHe Superdotação”, realizado pelo Pós PhD em neurociências e membro da Society for Neuroscience nos Estados Unidos, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, trata.

superdotação e o TDAH são bem diferentes, embora algumas pessoas com TDAH possam parecer mais inteligentes devido ao pensamento acelerado. No entanto, enquanto o TDAH envolve desatenção e hiperatividade, prejudicando a aprendizagem, a superdotação destaca-se pela inteligência acima da média. Por isso, é importante analisar as duas condições e entender até que ponto elas são similares ou possuem diferenças”, explica Dr. Fabiano de Abreu Agrela.

É possível ter TDAH e superdotação ao mesmo tempo?

superdotação e o TDAH podem ser bastante parecidos em alguns pontos, o que gera confusão em alguns diagnósticos, principalmente quando as duas condições coexistem, explica o Dr. Fabiano de Abreu Agrela.

As semelhanças entre o TDAH e a superdotação podem causar diagnósticos equivocados, mas comumente a superdotação também pode “esconder” o TDAHe vice-versa, devido a sintomas que dificultam a observação do comportamento do indivíduo”.

Alguns estudos indicam que cerca de 8,8% das crianças com TDAH são superdotadas, enquanto outros apontam que 18% das crianças superdotadas têm TDAH, podendo ser ainda mais expressivo em alguns casos. Há menções de até 50% de casos em outros estudos. Além disso, sugere-se uma possível relação entre genótipos propensos a uma maior inteligência fluida e condições como TDAH, autismo, entre outros, influenciadas por fatores ambientais ou no neurodesenvolvimento”, afirma.

TDAH e Superdotação

O cérebro de pessoas com TDAH e pessoas com superdotação funciona de formas diferentes, explica Dr. Fabiano de Abreu Agrela.

Observando como o cérebro funciona nas duas condições, observamos diferenças importantes em pessoas com TDAH, especialmente relacionadas à hipoexcitação. Essas mudanças afetam a atenção e a capacidade de controlar reações, contribuindo para os desafios enfrentados por quem tem TDAH. Já em pessoas superdotadas, percebemos um cérebro mais eficiente, com padrões de atividade neural organizados”.

A confusão em relação ao pensamento rápido e velocidade de processamento, frequentemente associada ao TDAH, torna difícil diferenciar as duas condições. A intensidade emocional em superdotados pode causar distração em ambientes menos estimulantes, tornando a identificação ainda mais complexa”, explica Dr. Fabiano.

Sobre Dr. Fabiano de Abreu Agrela

Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues MRSB é Pós PhD em Neurociências eleito membro da Sigma Xi, membro da Society for Neuroscience nos Estados Unidos , membro da Royal Society of Biology no Reino Unido e da APA – American Philosophical Association também nos Estados Unidos. Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia e filosofia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. Membro das sociedades de alto QI Mensa, Intertel, ISPE High IQ Society, Triple Nine Society, ISI-Society, Numerical e  HELLIQ Society High IQ. Autor de mais de 220 artigos científicos e 17 livros.