A perda auditiva atinge pessoas de todas as idades e, se não for tratada, pode ter consequências graves. Sinais como problemas de comunicação e mudanças comportamentais podem indicar problemas auditivos. Conheça os sintomas e entenda suas causas

Problemas auditivos podem afetar a população em qualquer faixa etária. Apesar de ser comumente associado a idosos, podem ser encontrados em pessoas mais jovens. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), somente na população entre 12 e 35 anos, mais de 1 bilhão de pessoas correm o risco de perder a audição devido à exposição prolongada e excessiva à música alta. Além disso, a partir dos 40 ou 50 anos anos existe uma propensão para o envelhecimento do sistema auditivo que resulta na perda auditiva chamada Presbiacusia.

“A perda de audição pode acontecer em todas as faixas etárias. É preciso estar atento aos sintomas, porque quanto mais cedo diagnosticar e iniciar o tratamento adequado, menor vai ser o impacto negativo dessa deficiência na vida do indivíduo”, explica a fonoaudióloga da Microsom, Maria Branco.

Prestar atenção nos sintomas é fundamental, mas quais são eles? Existem vários sinais que podem indicar perda auditiva, e compreender os possíveis sintomas ajudam o indivíduo a buscar apoio médico mais rápido.

Dificuldade para escutar o que os outros falam

“Um indicador é quando o paciente tem dificuldade para conversar em ambientes ruidosos, como em uma festa, ou almoço de família”, comenta Maria. “Ele começa a não entender e pede constantemente para repetirem a frase”, completa. Nas crianças, esse sintoma pode ser identificado caso apresente problemas para entender o professor e tenha queda no desempenho escolar.

Aumentar o volume da televisão

Maria explica que esse é um forte indício de perda auditiva, “principalmente nos indivíduos mais velhos, que costumam passar mais tempo em casa, e assistem mais TV. É muito comum que eles aumentem o volume na esperança de ouvir melhor”, acrescenta. Os familiares que não têm perda auditiva precisam ficar atentos se os sons estão mais altos do que o normal.

Não compreender conversas

“É muito comum as pessoas dizerem que escutam, mas não entendem”, observa a profissional. “Mesmo em ambientes que não são tão barulhentos, o indivíduo não entende tudo que falam para ele. Isso pode indicar problemas de audição”, completa. Nesse caso, a pessoa pode pedir para repetir a frase, ou dar respostas curtas por não compreender tudo o que ouviu.

Ouvir zumbido constante

O zumbido, que é um som interno que ninguém ao redor ouve, também é um importante sinal de uma possível perda auditiva. “Pessoas com zumbido tem grande chance de ter problemas de audição. Sempre que percebermos esse som é importante investigar a possível causa e fazer avaliações”, indica a especialista.

Sentir o ouvido tampado

De acordo com Maria, algumas pessoas podem experimentar uma sensação de ouvido tampado ou de pressão. Isso também pode ser um indicativo de perda de audição e precisa ser avaliado por um médico.

Sofrer mudanças de comportamento

Existem muitas explicações para mudanças bruscas de comportamento e, segundo Maria, problemas com a audição estão inclusos nas possibilidades. “Pessoas que estão começando a ter perda auditiva podem ficar mais irritadas, tendem ao isolamento social, evitam situações onde têm que conversar muito”, explica.

Quais são as causas da perda auditiva?

Maria conta que muitos fatores podem acarretar perda auditiva ao longo da vida. Confira os principais:

Envelhecimento do sistema auditivo;

Exposição excessiva a sons de alta intensidade de maneira prolongada;

Infecções recorrentes;

Sequelas de doenças como meningite bacteriana;

Uso de medicação prejudicial ao sistema auditivo.

“Essas são causas possíveis na população adulta. Se alguma for notada, precisa buscar ajuda profissional o mais rápido possível”, alerta a fonoaudióloga.

De acordo com ela, o primeiro médico a ser procurado é o otorrinolaringologista. “Ele será responsável por fazer a investigação das possíveis causas dessa perda de audição. Em seguida, o fonoaudiólogo vai realizar alguns exames, e também ajudar na adaptação do aparelho auditivo que a maioria dessas pessoas são recomendadas a usar”, conclui a especialista.

Sobre a Microsom – Com mais de 30 anos de mercado, o Grupo Microsom se dedica a proporcionar qualidade de vida a pessoas com necessidades especiais como perda auditiva, zumbido no ouvido e que sofrem com apneia do sono, resgatando a vida social e profissional destas pessoas. Com mais de 67 filiais, presentes em 17 estados, a empresa, 100% brasileira, mantém parceria exclusiva com a Audisync – multinacional americana líder em aparelhos auditivos.