Karina Santos, da Sami, enumerou algumas práticas que podem facilitar a vida nessa temporada de altas temperaturas

O verão chegou, e as altas temperaturas já estão dando as caras por aí – motivando muita gente a ir à praia, à piscina, a praticar atividades físicas. Porém, apesar de ser a estação favorita de muitos, o verão traz consigo dias de calor muito intenso, nos quais muita exposição ao sol, por exemplo, pode acabar causando danos à saúde – caso não sejam tomados os devidos cuidados.

Segundo Karina Santos, médica de família da Sami, operadora que é a revolução dos planos de saúde, frutas, comidas mais leves e muitos sucos servem de ótimos aliados para encarar as altas temperaturas. A médica separou algumas dicas essenciais para manter a saúde em dia durante a estação queridinha dos brasileiros:

1- Mantenha uma alimentação saudável

“As mudanças fisiológicas do verão precisam ser ajustadas a uma alimentação mais leve para compensar a perda de água e nutrientes e a pouca vontade de se alimentar. Sem contar que nosso corpo diminui a produção de energia, se comparado às temperaturas frias, com isso, nossa alimentação também precisa ser menos calórica. O efeito inibidor da fome causado pelo calor, acaba provocando um jejum prolongado que não é nada saudável para o organismo. Optar por uma alimentação saudável e leve é investir no seu bem-estar”, pontuou Santos.

Para atingir esse objetivo, alguns passos podem ajudar: opte por frutas e verduras, evite molhos em saladas, evite bebidas alcoólicas, dê um tempo das sobremesas, coma em porções menores, consuma menos sal e açúcar, e invista em fibras. Além disso tudo, preste ainda mais atenção na preparação dos alimentos, já que as altas temperaturas facilitam a proliferação de fungos e bactérias.

2- Beba bastante água

Hidratação é extremamente importante em todas as estações do ano, mas as altas temperaturas do verão a tornam ainda mais necessária. “A água é uma das substâncias mais importantes para o funcionamento do nosso organismo. É ela a responsável por processos que nos possibilitam sobreviver, como a regulação de temperatura e a eliminação de substâncias”, diz a médica.

Alguns sinais comuns de desidratação são muita sede, pele seca e boca seca. Em casos mais delicados, os batimentos cardíacos ficam acelerados e há pouca quantidade de urina e suor. As consequências dessa condição podem ser diversas, como insuficiência renal, convulsões e, em casos mais graves, edemas cerebrais.

3- Use e abuse do protetor solar

Nunca é demais repetir: o protetor é indispensável na hora de se expor ao sol. O produto é o melhor amigo de quem gosta de curtir uma praia, piscina ou praticar esporte ao ar livre – tudo isso evitando queimaduras e insolação. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a radiação UVA aumenta o risco de câncer de pele e de fotoenvelhecimento — favorecendo o surgimento de manchas na pele, rugas e perda de colágeno -, pois atinge a pele em níveis mais profundos. Já a radiação UVB é mais superficial, e pode provocar queimaduras e vermelhidão.

“Para escolher o protetor solar ideal para você é preciso analisar algumas variáveis, como a tonalidade e o tipo da sua pele. O recomendado é usar produtos com FPS a partir de 30, e ir aumentando o fator à medida que o tom da pele fica mais claro. Para peles oleosas, por exemplo, o ideal é usar protetores livres de óleo. Também deve ser avaliado se o produto é à prova d’água ou não.

Além da composição, outro ponto importante de levar em consideração é a consistência — se é em creme, gel, loção ou spray. Isso porque há situações que exigem um produto mais fluido ou um mais resistente. Pessoas com pele oleosa, por exemplo, precisam usar o em gel. Já aquelas que praticam bastante exercício físico ou suam muito, devem evitar o protetor solar em gel e priorizar as outras opções”, explica Karina Santos.

4- Pratique exercícios físicos

Se exercitar faz muito bem para a saúde, e o clima quente é mais favorável para a prática de atividades ao ar livre. Esportes relacionados a praia e verão estão em alta, como futevôlei, beach tennis, frescobol, stand up paddle, slackline, futebol de areia e muitos outros. “Atualmente, já sabemos que a atividade física não precisa estar diretamente ligada à perda de peso. Praticar atividades físicas traz diversos benefícios à saúde. Além disso, os exercícios físicos são capazes de controlar níveis de colesterol e prevenir o desenvolvimento de doenças crônicas”, finaliza.