Novas descobertas do Dr. Fabiano de Abreu Agrela a Natalie Banaskiwitz revelam semelhanças comportamentais entre pessoas com TEA e superdotados

Você já deve ter ouvido falar sobre a intrigante relação entre o autismo e a inteligência. Essa dúvida que muitos de nós temos, também intriga os cientistas. A partir desse questionamento, pesquisadores brasileiros estão revelando descobertas surpreendentes sobre a correlação genética que une algumas pessoas com Transtorno do espectro autista, que portam o que anteriormente era conhecido como “Asperger”, e a capacidade intelectual.

O Pós PhD em Neurociências e biólogo especialista em inteligência, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, que é membro das renomadas sociedades Sigma Xi, Royal Society of Biology e Society for Neuroscience lidera um estudo e conta com a parceria da neuropsicóloga Natalie Banaskiwitz, especialista em autismo, e uma equipe composta por dois neuropsicólogos e dois geneticistas, onde investigam a relação entre pessoas com níveis baixos de Transtorno do Espectro Autista e a inteligência. Os resultados preliminares têm revelado descobertas intrigantes, sugerindo semelhanças comportamentais entre esses indivíduos e os superdotados, bem como uma surpreendente correlação genética entre o autismo leve e a capacidade intelectual.

De acordo com Fabiano, a análise genética em pessoas com alto QI frequentemente revela predisposição ao TEA. Essa descoberta despertou sua atenção para a necessidade de um mapeamento minucioso. “É importante ressaltar que a pesquisa se concentra no antigo termo Asperger, não no autismo em geral, uma vez que alguns níveis de autismo podem incluir déficits cognitivos. Para o DSM-5, o Asperger é retratado como um tipo de autismo, porém mais leve”, destaca.

Com descobertas como os comportamentos semelhantes entre indivíduos com TEA de alto QI e os superdotados, espera-se que esse estudo contribua para uma compreensão mais aprofundada dessas condições e possa auxiliar no diagnóstico precoce. Os cientistas envolvidos acreditam que esse trabalho trará novos insights sobre as interações fascinantes entre diferentes aspectos do cérebro humano, abrindo caminho para avanços significativos na área da saúde mental.

Natalie Banaskiwitz, neuropsicóloga, comenta sobre as semelhanças entre o antigo Asperger e a superdotação: “Existem alguns comportamentos que podem se assemelhar entre essas duas características. É importante ressaltar que nem todas as pessoas com o TEA apresentam superdotação e nem todas as pessoas superdotadas têm características do espectro autista. No entanto, alguns pontos de semelhança podem incluir um interesse profundo e intenso em áreas específicas, habilidades cognitivas acima da média, memória excepcionalmente detalhada, desafios em interações sociais e um senso de perfeccionismo”.

Essa pesquisa pioneira no campo da neurociência está trazendo novos insights sobre a relação entre o antigo Asperger e a capacidade intelectual, destacando a importância de compreendermos melhor essas condições e promovermos uma maior inclusão e apoio às pessoas que convivem com elas.

Sobre Natalie

Natalie Helene van Cleef Banaskiwitz possui 19 anos de experiência em Psicologia, com especialização em Neuropsicologia. É mestre e doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP). Natalie fundou a Clincog Mais, uma empresa que oferece cursos, palestras, supervisão clínica e consultoria para profissionais da área, atendendo a mais de 4.000 alunos desde 2019.

Sobre Dr. Fabiano 

O Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues MRSB, é um Pós-doutor e PhD em neurociências eleito membro da Sigma Xi, The Scientific Research Honor Society (Mais de 200 membros da Sigma Xi receberam o Prêmio Nobel), Membro da Society for Neuroscience (USA), Membro da Royal Society of Biology no Reino Unido e da APA – American Philosophical Association (USA), Mestre em Psicologia, Licenciado em Biologia e História; também Tecnólogo em Antropologia e filosofia com várias formações nacionais e internacionais em Neurociências e Neuropsicologia. Pesquisador e especialista em Nutrigenética e Genômica. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat, membro-sócio da APBE – Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva e da SPCE – Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Membro das sociedades de alto QI Mensa, Intertel, ISPE High IQ Society e Triple Nine Society. Autor de mais de 200 artigos científicos e 15 livros.