Evento volta a ser realizado de forma presencial nos dias 20 e 21 de outubro com o tema “Descobrindo a Resiliência no Ato de Cuidar”; Inscrições vão até 15 de outubro

A próxima edição do workshop “A Descoberta do Brincar e Contar Histórias Terapêuticas”, promovido pela Associação Viva e Deixe Viver, ONG que atua há 25 anos com contação de histórias para crianças e adolescentes em hospitais, já tem data marcada. Depois de três anos sendo realizado 100% online, o evento, que visa a preparação  dos profissionais de saúde e educação ao ensinar habilidades e métodos de interação efetivos para a contação de histórias, retoma ao formato presencial nos dias 20 e 21 de outubro, das 9h às 14h, no Auditório da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo (SP).

Em sua 16ª edição, o workshop destaca quatro temas, que são: “a resiliência no ato de cuidar”, “a importância da empatia no processo de cura”, “humanização nos cuidados na psiquiatria” e “o papel da inclusão na saúde mental”. Totalmente interativo, o curso oferece aos participantes a compreensão do papel das histórias na promoção da saúde mental e no fortalecimento da resiliência, além de explorar o poder do brincar como uma forma de autocuidado e expressão emocional.(confira a programação completa abaixo).

Ao brincar e contar histórias, os participantes terão a oportunidade de expressar suas emoções, desenvolver habilidades sociais, promover a empatia e aprender estratégias saudáveis para lidar com desafios e adversidades. “Há 16 anos estudamos profundamente o tema e estamos sempre em busca de novidades para capacitar o nosso público. O workshop se consolidou como um evento envolvente, permitindo que os participantes se conectem emocionalmente e mergulhem em um mundo de imaginação, conta Luciana Bernardo, diretora Executiva da Viva e Deixa Viver.

workshop foi criado em 2007, a partir da pesquisa “O Brincar como Atividade Terapêutica nos Tratamentos Psiquiátricos de Crianças e Adolescentes”, feita com familiares e pacientes do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (IPq). Na ocasião, o estudo detectou resultados favoráveis a partir da percepção dos pais com relação a coordenação motora, intelectual e afetiva dos pacientes, e a importância da necessidade de preparar os profissionais da saúde e educação que muitas vezes não têm habilidade ou métodos para interagir de forma efetiva com estas crianças e adolescentes.

“Pesquisas desse tipo são realizadas periodicamente com a intenção de conhecer as relações interpessoais entre contador de histórias, pacientes, familiares e equipe de profissionais da saúde. E os resultados nos motivam a aumentar a frequência das nossas atividades para a área de psiquiatria dos hospitais. A leitura e o ato de brincar educativo com pacientes que sofrem de patologias mentais traz benefícios além da distração, elas são capazes de promover melhorias motoras, intelectuais e afetivas”, enfatiza Valdir Cimino, fundador da Viva e Deixe Viver.

Nesta edição, o workshop a “Descoberta do Brincar e Contar Histórias Terapêuticas” conta com o apoio do Instituto Helena Florisbal, Instituto de Psiquiatria do Hospital da Clínicas, Escola de Enfermagem da USP, Associação Paulista de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no site www.vivaedeixeviver.org.br  até 15 de outubro. Os valores variam entre R$75 e R$150.

Entrevistas exclusivas – A 16ª edição do workshop estreou um novo formato de conteúdo, o de entrevistas com renomados profissionais da cultura e literatura. Desde o dia 11 de julho até o dia 15 de dezembro, a Viva e Deixe Viver transmite uma série de bate-papos conduzidos pela jornalista Amália Rocha. Eles podem ser acompanhados gratuitamente on demand ou ao vivo, todas às terças-feiras, às 19h, no Canal Viva e Eduque (897 da Soul TV) ou no Youtube e app Viva Eduque (disponível para Android e iOS).

Silvia Queiroz (artista que personifica a boneca Emília há 26 anos), Ana Novis, Mari Pitro já passaram pela atração. Para as próximas edições já estão confirmados nomes como Ana Novis (08/08), Valdir Cimino (22/08), Luciana Lessa (05/09), Ninfa Parreiras (19/09), Claudia DiCarmo (03/10), Nana Nunes (17/10), Pedro Bandeira (31/10), entre outros.

Serviço: Workshop A Descoberta do Brincar e Contar Histórias Terapêuticas

Data: 20 e 21 de outubro (sexta-feira e sábado)

Horário: 09h às 14h

Valores: R$ 75 para profissionais da saúde, educação, voluntários da Viva, estudantes e idosos e R$ 150 reais para o público em geral

Mais informações: www.vivaedeixeviver.org.br

Programação – 20 de outubro

08h30 Credenciamento

09h Apresentação de abertura

09h15 Palestra Magna: Resiliência no ato de cuidar

10h Roda de conversa: A importância na empatia no processo de cura

11h Coffee Break – Intervenção Jogo Eu conto!

11h30 Oficinas

  • O impacto de construir e desenhar Histórias no processo Terapêutico
  • Pirilipimpim: imagens arquetípicas do Sítio do Picapau Amarelo
  • A Escrita Curativa e seus dispositivos clínico-literários
  • Jogo Eu Conto: da brincadeira à pesquisa

Programação – 21 de outubro 

08h30 Credenciamento

09h Apresentação de abertura

09h15 Palestra Magna: Humanização nos cuidados na psiquiatria

10h Roda de Conversa: O papel da inclusão na saúde mental

11h Coffee Break – Intervenção Jogo Eu conto!

11h30 Oficinas

  • Dialogando por meio do LEGO
  • Construindo a resiliência na saúde mental por meio do brincar
  • Terapia com cães
  • (B)ases da resiliência: oficinas de contar histórias e brincar